Internacional

MNE da Ucrânia diz que massacre em Bucha é apenas "a ponta do iceberg"

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano disse que a ajuda da Europa é “crucial” para travar a guerra, ainda que admita que é difícil perceber “quando terminará a guerra”.


O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, afirmou que o massacre na cidade de Bucha é apenas “a ponta do iceberg”, ao notar que a situação em Mariupol é “muito pior em todos os sentidos” e que “a batalha que vai decorrer na região do Donbass vai fazer lembrar a Segunda Guerra Mundial”.

Após uma reunião, em Bruxelas, de ministros de Negócios Estrangeiros da NATO, que contou com a presença de Kuleba, do chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, e  ainda com o secretário-geral da Aliança, Jens Stoltenberg, o ministro ucraniano disse aos jornalistas que a ajuda da Europa é “crucial” para travar a guerra, ainda que Kuleba admita que é difícil perceber “quando terminará a guerra”.

“Ou nos ajudam agora — e estou a falar de dias, não semanas — ou a ajuda chegará tarde demais e muitas mais pessoas morrerão”, sublinhou Dmytro Kuleba, ao notar que o país ficará “mais forte” do que a Rússia caso receba mais armamento.

Esse apoio militar já está acordado com os aliados da NATO, faltando apenas determinar para quando será o envio de mais armas para o território ucraniano.

No entanto, o ministro ucraniano chamou a atenção dos aliados para as “insuficientes” sanções contra a Rússia, embora verifique que as mesmas estão a causar danos a economia do Kremlin, e ainda acusou os aliados de agirem “somente após tragédias como Bucha”.

Kuleba fez questão de referir que a Ucrânia agradece “tudo o que foi feito em termos de sanções até agora”, mas deixou uma crítica aos europeus: “Enquanto o Ocidente continuar a comprar gás e petróleo da Rússia está a apoiar a Ucrânia com uma mão e apoiar a máquina de guerra da Rússia com outra”.

Os comentários estão desactivados.