Economia

Insolvências crescem 3,7% no primeiro trimestre

As constituições têm um crescimento “significativo” superior a 29%.

Insolvências crescem 3,7% no primeiro trimestre

As insolvências aumentaram 3,7% no primeiro trimestre de 2022, face ao período homólogo do ano passado, com 1324 empresas insolventes, revelou a Iberinform, acrescentando que “este é o valor acumulado mais elevado no primeiro trimestre dos últimos três anos”.

Março foi o mês com mais insolvências, 468, o que traduz um incremento de 9,1% face a 2021.

Ainda assim, diz a empresa, este aumento das insolvências traduz, fundamentalmente, um aumento no número de processos concluídos já que as declarações de insolvência requeridas por terceiros diminuíram 17,6% no primeiro trimestre face a 2021 (menos 46 pedidos), enquanto às apresentações à insolvência pelas próprias empresas tiveram uma redução de 3,1% (menos oito pedidos).

Os encerramentos com plano de insolvência também baixaram 12,5% face a 2021. De janeiro a março de 2022 foi declarada a insolvência de 850 empresas, mais 102 que em igual período de 2021.

Os distritos de Lisboa e do Porto mantêm as suas posições de liderança, com 347 e 335 insolvências, respetivamente. Braga surge na terceira posição em valores absolutos, com 126 insolvências. Face a 2021, verifica-se um aumento de 15,3% em Lisboa (mais 46 insolvências), uma diminuição de 3,7% no Porto (redução de 12 insolvências) e uma redução de 13,7% no distrito de Braga (menos 20 insolvências).

Já as constituições evoluíram de 3844 empresas em 2021 para 4272 em 2022, mais 428 novas empresas em termos homólogos (+11,1%). Em totais acumulados verifica-se um acréscimo significativo de 29,2%, com um global de 13.417 novas empresas constituídas.

O número mais significativo de constituições verifica-se em Lisboa, com 4403 empresas (+52,3%), e no Porto, com 2.225 empresas (+10,4%). Na terceira posição surge o distrito de Setúbal, com 1.020 constituições (+40,9% face a 2021).

Os comentários estão desactivados.