Sociedade

Marcelo sublinha necessidade de reconhecimento do lugar da comunidade cigana na sociedade

Presidente da República considera que Portugal será "um país mais justo, mais preparado para os desafios do nosso tempo, quando nenhum entre nós se vir excluído em razão da comunidade, da etnia, da cultura a que pertence".


Marcelo Rebelo de Sousa assinalou esta sexta-feira o Dia Internacional das Comunidades Ciganas e sublinhou a "necessidade urgente" de reconhecimento do lugar daquela comunidade na sociedade e a mitigação da "pobreza, exclusão e preconceito" de que sofre.

"Neste 08 de abril, Dia Internacional das Comunidades Ciganas, o Presidente da República gostaria de sublinhar a necessidade urgente de reconhecer o lugar da comunidade cigana na sociedade portuguesa, enaltecendo a sua riqueza, cultura e história e exortando ao mitigar da pobreza, exclusão e preconceito que ainda hoje vitima esta comunidade", lê-se numa nota publicada no site oficial da Presidência da República.

O chefe de Estado sublinhou que Portugal será "um país mais justo, mais preparado para os desafios do nosso tempo, quando nenhum entre nós se vir excluído em razão da comunidade, da etnia, da cultura a que pertence".

"Possa este ser um desígnio abraçado por todas e todos, incluindo a própria comunidade cigana, com convicção e responsabilidade", referiu ainda.

O Dia Internacional das Comunidades Ciganas foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1971, depois de o ator cigano americano Yull Briner ter feito uma campanha. A data foi oficializada no 1.º Congresso Mundial Roma/Cigano, em Londres, Inglaterra, em 1971.

Os comentários estão desactivados.