Sociedade

Leiria. Orgão de praxe nega que morte de estudante tenha sido em contexto praxístico

A Polícia Judiciária, que está a investigar a morte do jovem, que aconteceu na noite desta quinta-feira no Hospital de Santo André, diz que "todos os cenários estão em aberto".

 


O "Real D.Dinis" (órgão de praxe) o presidente da Associação de Estudantes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Politécnico de Leiria, Joel Rodrigues, disse em declarações à agência Lusa que a morte do estudante de solicitadoria, de 18 anos, não está relacionada com a praxe, e que vítima não faz, inclusivamente, parte da praxe.

Joel Rodrigues afirma que o jovem "estava em casa" e que "terá sido um acidente" cujos factos este desconhece.

O representante estudantil adiantou também que, após uma conversa com a direção da ESTG, foi decidido ativar o Serviço de Apoio ao Estudante.

A Instituição afirma que que aquilo que "o Politécnico de Leiria e toda a sua comunidade académica querem" é transmitir "a toda a família e amigos o pesar pela morte do nosso estudante", acrescentando que a infromação disponível é ainda "muito escasse" e que se encontra "a acompanhar de perto esta situação".

A ESTG afirma ainda que o sucedido decorreu "no apartamento particular onde o estudante residia" e "está a ser investigado pelas autoridades competentes, não existindo informação que aponte para uma relação com atividades de praxe académica".

A Polícia Judiciária, que está a investigar a morte do jovem, que aconteceu na noite desta quinta-feira no Hospital de Santo André, diz que "todos os cenários estão em aberto".

 

 

Os comentários estão desactivados.