Internacional

Batalhão Azov acusa Rússia de usar armas químicas em Mariupol

Andrei Biletsky alega que russos largaram, com recurso a um drone, uma substância venenosa de origem desconhecida na fábrica Azovstal.


O fundador do regimento Azov da Ucrânia acusou, esta terça-feira, as tropas russas de terem atacado Mariupol com armas químicas.

Andrei Biletsky afirmou num vídeo publicado no Telegram que a Rússia largou, através de um drone, uma substância venenosa de origem desconhecida na fábrica Azovstal em Mariupol, tendo ferido pelo menos três pessoas.

A informação não foi ainda confirmada oficialmente, mas o governo britânico já reagiu e garantiu estar a tentar “verificar os detalhes” da acusação do batalhão Azov.

A reação do Pentágono foi semelhante, não é possível “neste momento “verificar os detalhes”, mas EUA estão a acompanhar “de perto a situação”.

Pouco antes, Volodymyr Zelensky, já tinha alertado para o facto de a Rússia poder vir a recorrer a armas químicas para atacar a Ucrânia, numa mensagem publicada no site oficial da Presidência.

Os comentários estão desactivados.