Desporto

Anfield também se abate

Desde a sua primeira participação nas taças europeias, o Liverpool perdeu 24 jogos em casa. O primeiro a vencer em Anfield, foi o Ferencvarós, em 1968. O Benfica já lá ganhou.


Na próxima quarta-feira vai o Benfica a Anfield já sem grandes esperanças de seguir em frente na Liga dos Campeões, sobretudo a partir do momento em que sofreu o segundo golo de diferença. Anfield é Anfield. Um dos estádios mais terríveis da Europa e onde muitos dos grandes do continente já sofreram danos inesquecíveis. O próprio Benfica, que vai para a sua sexta presença no campo do Liverpool, só tem um bom dia para se recordar, o 8 de março de 2006, quando arrancou lá uma espetacular vitória por 2-0, com golos de Simão e de Miccoli, ainda por cima defrontando um Liverpool que era campeão da Europa. É praticamente inimaginável pensar em proeza igual. Aliás, desde que participou pela primeira vez nas competições europeias, na época de 1964-65, o Liverpool só conta com 24 derrotas caseiras, o que demonstra a dificuldade de jogar nas margens do Mersey.

Dia 9 de janeiro de 1968. Um dia que ficou para a história quando os húngaros do grande Ferencvarós, depois de vencerem em casa por 1-0, foram a Anfield repetir o resultado com um golo de László Branikovits, logo aos 19 minutos. Cerca de 47 mil espetadores ficaram siderados quando viram a sua equipa ser despachada na terceira eliminatória da Taça das Feiras, ainda por cima quando, na ronda anterior, tinham assistido ao massacre do TSV Munique por 8-0. Pela primeira vez, o Liverpool perdia entre os seus. Daí para cá, foram 23 os clubes a saírem de Anfield vencedores, cabendo ao Barcelona ser o único que lá ganhou duas vezes, em 2001 (3-1) e 2007 (1-0). Além do mais, em todas as derrotas caseiras dos reds, nenhuma ultrapassou os dois golos de diferença - e aqui se vê o gigantismo da impossível tarefa benfiquista desta semana - 0-2, Spartak Moscovo (1992); 1-3, Barcelona (2001); 0-2, Celtic (2003); 0-2, Benfica (2006); 1-3, Chelsea (2009); 0-3, Real Madrid (2014) e 0-2, Atalanta (2020).

Curiosamente, a última vez que alguma equipa ganhou em Anfield foi há bem pouco tempo, o Inter de Milão, no dia 8 de março deste ano, nos oitavos de final, depois de ter sido derrotado na primeira mão, em S. Siro, por 0-2. Ou seja, um resultado sem consequências.

 

Glória aos vencedores

Em 1971, na primeira mão das meias-finais da Taça das Feiras, o Liverpool recebeu os seus compatriotas do Leeds United e pereceu por 0-1. Gente de grande categoria, de um lado e de outro: Ray Clemence, Emilyn Hughes, Ian Callaghan, Steve Heighway e John Toshack, para os de vermelho, Terry Cooper, Jack Charlton, Billy Bremner (o autor do golo) e Mick Jones para os de branco. Em Elland Road, o 0-0 serviu ao Leeds. Era apenas a segunda derrota europeia do inferno de Anfield. A terceira chegaria dois anos mais tarde, em novembro de 1973, na segunda mão da segunda eliminatória da Taça dos Campeões Europeus, aos pés do Estrela Vermelha de Belgrado, que já tinha ganho em casa por 2-1 - repetiu o resultado com golos de Vojin Lazarevic e Slobodan Jankovic contra o de Chris Lawer.

Não deixa de ser interessante reparar que na curta lista dos gloriosos vencedores de Anfield se contem muitos clubes sem expressão, ou pelo menos sem grande currículo europeu. Exemplos? O Génova (2-1 em 1992) - de 1973 a 1992 o Liverpool não sofreu qualquer derrota europeia em Anfield, embora seja preciso contar com os seis anos em que esteve suspenso pela UEFA depois dos terríveis acontecimentos na final do Heysel, em Bruxelas, em 29 de maio de 1985 - o Spartak Moscovo (2-0 em 1992); o Bröndby (1-0 em 1995); o Celta de Vigo (1-0 em 1998); a Roma (1-0 em 2001); o Valência (1-0 em 2002); o Grazer (1-0 em 2004); o CSKA de Sófia (1-0 em 2005); O Lyon e a Fiorentina (ambos por 2-1 no mesmo ano de 2009); e a Udinese (2-3 em 2012).

Todos eles adversários cujas vitórias devem ter feito correr bom dinheiro nas casas de apostas, tal a diferença de categoria em relação aos donos de Anfield, mas que servem para provar que esta fortaleza também se abate.

Não seria eu a meter dinheiro nas apostas de quarta-feira, tão clara me parece a tendência do jogo e a diferença entre Liverpool e Benfica. Ficam os encarnados com o orgulho de serem o único clube português que venceu em Anfield, e bem, como todos nos recordamos. Entre 2014 e 2020, mais um hiato sem derrotas em casa que começou com a devastadora presença do Real Madrid em Anfield (3-0, golos de Ronaldo e dois de Benzema) e terminou com a rija compita frente a outro madrileno, o Atlético, que conseguiu ir vencer a Anfield por 3-2, a 11 de março de 2020.

Assim se percebe os horrores que os adversários costumam sofrer quando vão a Liverpool. Mas não haja quem se negue a enfrentar um dos ambientes mais excitantes da história do futebol.

Os comentários estão desactivados.