Politica

Ministro dá puxão de orelhas em louvor

O ministro do Planeamento mandou publicar em Diário da República um louvor a uma colaboradora com observação arrasadora: ‘Nem mesmo uma falha que não poderia ter acontecido...’. 


Nelson de Souza, ministro do Planeamento na anterior legislatura, mandou publicar em Diário da República um louvor em reconhecimento de La Salette Marques, adjunta do seu gabinete, «pelo seu contributo positivo na divulgação da atividade do Planeamento». Mas não sem deixar uma observação arrasadora para a sua colaboradora no respetivo despacho. «Nem mesmo uma falha que não poderia ter acontecido no seu desempenho diminui a sua colaboração profissional com este Gabinete», lê-se no louvor com data de 29 de março, um dia antes do ministro cessar funções no Executivo.

Apesar de no texto publicado em Diário da República no dia 8 de abril o ex-ministro salientar a competência e lealdade de La Sallete Marques «durante todo o período em que colaborou» com o gabinete, o ministro não quis deixar de assinalar aquela sua «falha», mesmo sem adiantar mais nada sobre a mesma. 

Contactado pelo Nascer do SOL, Nelson de Souza não quis fazer qualquer esclarecimento sobre este assunto.

O Nascer do SOL não conseguiu obter qualquer contacto de La Sallete Marques.

O governante deixou ainda outros onze louvores públicos, nomeadamente à sua chefe de gabinete, aos seus motoristas, secrátias e assistentes, mas em mais nenhum fez qualquer tipo de reparo semelhante àquele que fez à sua adjunta.
La Sallete Marques conta com uma vasta experiência em assessoria, tendo sido também coordenadora do Gabinete de Comunicação do Ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, em 2019. Em 2009, a antiga jornalista deixou para trás uma carreira na rádio e na televisão para assessorar o então ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão.

A antiga adjunta do ministro do Planeamento foi também secretária nacional para a área da comunicação do movimento Mulheres Socialistas, Igualdade e Direitos (MS-ID).

Nelson de Souza foi um dos oito ministros de António Costa que saiu de cena nesta nova legislatura. Começou como secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão no XXI Governo Constitucional, em 2015, e, a partir de fevereiro de 2019, subiu a ministro do Planeamento.

Antes disso, foi uma espécie de ‘Mário Centeno de Costa a nível autárquico’, como diretor municipal de Finanças na Câmara de Lisboa, desde fevereiro de 2014, tendo também desempenhado funções de assessoria do presidente da autarquia. 

António Costa e Nelson de Souza já se tinham cruzado no Governo de António Guterres, quando Costa foi ministro dos Assuntos Parlamentares e Souza foi chefe de gabinete do ministro da Economia e mais tarde secretário de Estado das Pequenas e Médias Empresas, do Comércio e dos Serviços.

Os comentários estão desactivados.