Sociedade

Mais de 30 mil ucranianos pediram acolhimento a Portugal desde o início da invasão russa

Foram reportadas à CPCJ 14 situações de menores, cuja avaliação de risco foi avaliada em perigo atual ou iminente.

Mais de 30 mil ucranianos pediram acolhimento a Portugal desde o início da invasão russa

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) concedeu, desde o início do conflito na Ucrânia, 31.543 pedidos de proteção temporária a cidadãos ucranianos e a cidadãos estrangeiros que residem naquele país.

Segundo um comunicado do SEF, do total de pedidos de proteção, 21.220 dizem respeito a mulheres, a 10.323 a homens e 11.024 a crianças e jovens.

Os municípios com o maior número de pedidos continuam a ser Lisboa, Cascais, Sintra, Porto e Albufeira.

“Quanto a certificados de concessão de autorização de residência ao abrigo do regime de proteção temporária, contendo números de utente de saúde, de segurança social e de identificação fiscal atribuídos pelas respetivas entidades, o SEF já emitiu 19.320”, lê-se no mesmo documento.

Dos mais de 11 mil menores que chegaram a Portugal vindos da Ucrânia, o SEF já comunicou ao Ministério Público 433 casos de crianças ou jovens que se apresentaram “na presença de outra pessoa que não o seu progenitor ou representante legal comprovado, sem perigo atual ou iminente”.

Já em perigo atual ou iminente foram identificados 14 situações, entretanto reportadas à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ).

Os comentários estão desactivados.