Vida

Traficante que forneceu as drogas que mataram Mac Miller condenado a 11 anos de prisão

Para além do tempo de prisão, Ryan Michael Reavis terá ainda que passar por três anos de liberdade supervisionada com testes de drogas.

 


Ryan Michael Reavis, traficante que se declarou culpado da morte de Mac Miller após ter admitido que tinha conhecimento das substâncias ilícitas que os comprimidos que fornecia ao rapper continham, e que levaram à sua overdose, em setembro de 2018, foi condenado a 11 anos de prisão. Estavam presentes no seu sistema fentanil, cocaína e álcool. 

"O Sr. Reavis foi hoje condenado a 131 meses numa prisão federal. Não serão feitos mais comentários", lê-se num comunicado, citado pelo Entertainment Tonight.

Reavis, que disse estar arrependido, leu um comunicado, antes de ter sido lido a sentença, no qual afirma que este "não é um caso típico" no que toca a crimes que envolvem drogas. "Há uma pessoa que morreu e uma família que nunca terá o seu filho de volta. A minha família ficaria destroçada se fosse comigo", confessou. "Penso constantemente nisso. E sei que eu sou o sortudo, porque a minha família está aqui e eu voltarei a estar com eles. Eu não sou assim".

A mãe do rapper também emitiu um comunicado. "A minha vida ficou na mais completa escuridão a partir do momento em que o Malcolm deixou este mundo. Ele queria viver, e estava entusiasmado com o futuro. O vazio no meu coração nunca será preenchido".

Sublinhe-se ainda que Stephen Andrew Walter, o homem que deu a Reavis o fentanil que porsteriormente iria matar Mac Miller, foi condenado a 17 anos de prisão, em outubro do ano passado. O julgamento de Cameron James Pettit, outro dos dealers envolvidos na morte do rapper, ainda prossegue.

Para além dos 11 anos de prisão, Ryan Michael Reavis terá ainda que passar por três anos de liberdade supervisionada com testes de drogas.

 

Os comentários estão desactivados.