Sociedade

"As ambulâncias deviam ser destinadas aos bombeiros"

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses saúda a aquisição de ambulâncias pelo INEM mas reitera que os bombeiros também precisam de viaturas para socorrer devidamente a população.


O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) vai assinalar a aquisição de 45 novas ambulâncias com uma cerimónia, esta terça-feira, às 16h. Ao i, a Liga dos Bombeiros Portugueses saúda o reforço, mas lamenta que não chegue aos corpos de bombeiros.

“A LBP não tem muito a dizer sobre essa matéria porque as ambulâncias deviam ser destinadas aos bombeiros. Mas ainda bem que as têm”, começa por dizer, em declarações ao i, António Nunes, presidente da Liga. “Estamos em negociações sobre a revisão do acordo que assinámos no ano passado e entendemos que o número de veículos é insuficiente para alguns momentos do dia e bem gostaríamos que houvesse um aprofundamento deste protocolo de modo a dotar os corpos de bombeiros dos recursos para socorrer devidamente as pessoas”, explica, assinalando que “é durante o dia que as áreas metropolitanas precisam de mais ambulâncias”.

“No âmbito dessa reapreciação, tudo o que consta no acordo está em cima da mesa: número de viaturas, participações financeiras, material sanitário, combustíveis, distribuição das viaturas, etc. Estamos em contacto com o INEM para estarmos dentro do sistema integrado, fazermos parte dele e melhorarmos a qualidade do serviço”, garante o dirigente que, no final do mês passado, em entrevista ao Nascer do SOL, disse:_“Durante a pandemia a Saúde tentou primeiro resolver a situação do transporte dos doentes com covid. Onde vieram parar os doentes com covid? Aos bombeiros. Porque temos 2 500 ambulâncias e 30 mil homens. Não temos 40 ambulâncias como tem o INEM. E podemos mobilizar as ambulâncias todas para o mesmo sítio se for preciso”.

 

“Há tempos de espera que são inaceitáveis”

“O INEM marca desta forma a concretização do processo de aquisição das novas ambulâncias, que serão agora distribuídas pelas diversas regiões do país, renovando parte do parque automóvel do INEM, nomeadamente no que diz  respeito a Ambulâncias de Emergência Médica (AEM) e Ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV)”, anunciou ontem o INEM em comunicado enviado às redações.

A cerimónia desta terça-feira será presidida pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales e vai decorrer junto ao Padrão dos Descobrimentos. Ao todo, trata-se de um investimento superior a 2,36 milhões de euros, informou o INEM, que tem vindo a renovar a frota de ambulâncias.

No dia 21 de março, a LBP apresentou ao INEM uma proposta de atualização do valor fixo mensal de cada ambulância Posto de Emergência Médica (PEM) dos 4000 para os 4466 euros._De acordo com a Liga, o objetivo principal passa por tentar reduzir o impacto financeiro nas associações humanitárias causado pelas últimas alterações no salário mínimo nacional. “Há tempos de espera que são inaceitáveis. A falta de ambulâncias grave não é em contexto inter-hospitalar, mas sim pré-hospitalar. O cerne da questão é que os contratos não são feitos e a lei da contratação pública proíbe os hospitais de contratar à peça”, sublinha a organização. “Cada hospital é responsável pela evacuação dos doentes. Estamos em total colaboração com o INEM, reconhecemos que devem existir mais ambulâncias e com melhor qualidade, mas gostaríamos de ver os bombeiros reforçados com maior capacidade para socorrer a população”. 

Os comentários estão desactivados.