Politica

PCP não vai assistir ao discurso de Zelensky no Parlamento

Segundo a líder parlamentar, a participação do Presidente da Ucrânia na Assembleia da República é "dar palco à instigação da escalada da guerra", considerando ainda Zelensky como "alguém que personifica poder xenófobo e belicista”. 


O PCP não vai assistir à sessão parlamentar onde o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, vai participar, já esta quinta-feira, na Assembleia da República.

A confirmação foi avançada em conferência de imprensa pela líder parlamentar, Paula Santos, que disse que o partido não vai participar “numa sessão concebida para dar palco à instigação da escalada da guerra, com a participação de alguém que personifica poder xenófobo e belicista”, ao notar a proximidade ao batalhão Azov, que engloba elementos neonazis.

“Este convite à margem dos critérios institucionais constitui-se como ato de instrumentalização de um órgão e soberania não orientado para caminho de diálogo mas para animar escala da guerra”, sublinhou Paula Santos.

Volodymyr Zelensky vai falar para o Parlamento português por videochamada amanhã às 17h, em vez de às 15h. O horário inicial foi alterado a pedido da Embaixada da Ucrânia, segundo indicou uma fonte do gabinete do presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, à agência Lusa.

Na sessão solene de amanhã, irão discursar Zelensky e Augusto Santos Silva e também estarão presentes o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, além de convidados em representação de outras entidades oficiais.

De acordo com a porta-voz da conferência de líderes parlamentares, a deputada socialista Maria da Luz Rosinha, não serão abertas as galerias ao público nesse dia, nem haverá intervenções dos vários grupos parlamentares e deputados.

Os comentários estão desactivados.