Internacional

Moldávia entrega processo de adesão à União Europeia

Este é o segundo pedido de um país entregue à União Europeia. No início desta semana, Zelensky entregou o formulário oficial da Ucrânia. Esta sexta-feira, chegou a vez da Moldávia dar o passo em frente. 


A República da Moldávia entregou, esta sexta-feira, o formulário de adesão à União Europeia (UE). O momento, registado em fotografia e partilhado nas redes sociais, conta com a presença da Presidente do país, Maia Sandu; da primeira-ministra, Natalia Gravilita; do ministro dos Negócios Estrangeiros, Nicu Popescu; e do porta-voz do parlamento moldavo, Igor Grosu.

Para Nicu Popescu, este é um “dia histórico para a República da Moldávia”, uma vez que a entrega do documento aproxima o país “um pouco mais da integração na União Europeia”, salientou no Twitter.

Este avanço para a entrada na comunidade europeia acontece no mesmo dia em que o general russo Rustam Minnekayev disse que o domínio russo no Sul da Ucrânia poderá ajudar os separatistas pró-russos da Transnístria – uma região dentro das fronteiras da Moldávia que reconheceu a sua independência em 1992 com a ajuda da Rússia.

Este é um caso idêntico às províncias separatistas de Donbass e Donetsk, onde a Rússia mantém uma guarnição militar numa região dentro de um país independente como a Ucrânia e a Moldávia.

Recorde-se que, na segunda-feira, o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, entregou o mesmo documento num encontro com o embaixador da UE na Ucrânia, Matti Maasikas.

E ontem, também como sinal do perigo de uma iminente ameaça russa, o governo sueco decidiu antecipar em duas semanas os planos para uma nova política de segurança, sublinhando que a maioria da sua população é a favor da adesão à NATO.

Pelo mesmo andar, mas um pouco mais apressado, está a aliada Finlândia, que já apresentou um documento com várias opções para assegurar a segurança futura do país, sendo a mais solicitada é a entrada na Aliança Atlântica.

Os comentários estão desactivados.