Internacional

Governo uncraniano diz que cessar-fogo em Mariupol falhou

Kiev quer que ONU supervisione retirada de civis de complexo de Azovstal.


O governo ucraniano disse, esta segunda-feira, que, ao contrário do anunciado pelos militares russos, não houve um cessar-fogo para permitir a retirada de civis do complexo metalúrgico Azovstal.

A vice-primeira-ministra ucraniana escreveu no Telegram que o anúncio russo de um "corredor humanitário", que estaria para acontecer esta segunda-feira, não foi acordado com a Ucrânia.

Iryna Vereshchuk afirmou assim que a Ucrânia não considera a rota segura e sublinhou que a Rússia já tinha violado acordos em rotas de evacuação semelhantes.

A governante aproveitou ainda a ida à Rússia do secretário-geral das Nações Unidas, que deverá encontrar-se com Putin na terça-feira, para apelar a que António Guterres seja o "iniciador e garante" de um corredor humanitário para fora de Azovstal, pedindo que a ONU e a Cruz Vermelha acompanhem as pessoas que sejam retiradas do local.

Segundo dados de oficiais ucranianos, estarão cerca de mil civis no interior do complexo de Azovstal.

Os comentários estão desactivados.