Politica

Marcelo diz que visita de Guterres à Rússia contribuiu para "baixar as expectativas" sobre a resolução da guerra

Na ótica do chefe de Estado, o melhor será “esperar” pelo encontro de amanhã entre o secretário-geral da ONU e o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para perceber se a abertura dos corredores humanitários tem “pernas para andar”.


O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, esta quarta-feira, que a visita de António Guterres à Rússia para conversar com Vladimir Putin contribuiu para “baixar as expectativas” sobre uma eventual resolução do conflito na Ucrânia.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou, em declarações aos jornalistas, que o secretário-geral da Nações Unidas foi “cuidadoso” quando disse que "era difícil convencer o presidente Putin". No entanto, a mediação de Guterres poderá ter ajudado na criação de corredores humanitários como em Mariupol, tal como o próprio anunciou depois da reunião com o Presidente da Rússia.

Na ótica do chefe de Estado, o melhor será “esperar” pelo encontro de amanhã entre o secretário-geral da ONU e o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para perceber se a abertura dos corredores humanitários – com apoio da ONU e de um Comité Internacional da Cruz Vermelha – tem “pernas para andar”.

"Vamos ver se, pelo menos por aí, há passos que são dados. Há um jogo de palavras nestas situações militares: aquilo que se diz é para produzir efeito dos vários lados e depois tem que se descontar um bocadinho", apontou Marcelo.

Em relação às declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, que disse que poderia ser possível romper uma III Guerra Mundial, Marcelo afirmou que essas e outras declarações eram uma "parada verbal que em todas as guerras existiu". "É preciso ver até que ponto é que a realidade comporta esse tipo de concretização", notou.

Os comentários estão desactivados.