Sociedade

Época balnear começa já no domingo em algumas praias

Em princípio, as regras de distânciamento social adotadas o ano passado serão mantidas.


A época balnear vai ter início no domingo em algumas praias depois de, no ano passado, a época ter aberto oficialmente apenas em meados de junho na maioria das praias portuguesas, que estavam a ser sujeitas a regras de prevenção da tranmissão do novo coronavírus. Contudo, ainda não foi publicada a portaria que define as normas a aplicar.

Em declarações à agência Lusa, Silva Luís, porta-voz da Autoridade Marítima Nacional confirmou esta informação, acrescentando que há autarquias que "decidiram abrir e podem fazê-lo desde que cumpram um conjunto de regras básicas, como nadadores-salvadores e autorização da capitania".

O responsável salientou que houve um "reforço gradual ao dispositivo permanente dos meios desde 07 de abril", havendo já equipas na orla costeira.

João Carreira, presidente da Federação Portuguesa de Concessionários de Praia, adiantou que "para já", não teve acesso aos editais de praia que resultam da portaria da Associação Portuguesa do Ambiente que rege as regras da época balnear, garantindo, contudo, que  à partida vão cumprir as mesmas regras de distanciamento no areal".

No ano passado, faziam parte das regras o distanciamento social entre pessoas e grupos, com os toldos e os colmos com três metros entre si, enquanto para as barracas a distância era de um metro e meio, não sendo permitido mais de cinco utentes por toldo, colmo ou barraca, sendo o uso de máscaras necessário nos acessos à praia e na utilização dos apoios, restaurantes ou instalações sanitárias.

Segundo as últimas recomendações da DGS, o acesso no uso a bares já não carece dessa necessidade, uma vez que são considerados equipamentos de restauração. 

"Já temos nadadores-salvadores e já estamos preparados para dar assistência às mesmas, só estamos a aguardar que os editais sejam publicados, mas há praias no país que já começa a 01 de maio a época balnear, caso de cerca de 15 na Costa da Caparica, em Cascais e algumas no Algarve", disse João Carreira.

O responsável informou ainda que os nadadores-salvadores estão a ser contratados com antecedência para dar segurança aos utentes das praias, além de ser uma obrigação das concessões para poderem operar.

Alguns dos trabalhadores são vindos do Brasil, disse Carreira, uma vez que grande parte socorristas nacionais são estudantes e que, por esse motivo, apenas depois de "terminar a escola e os exames" podem ir de forma permanente para as praias.

"A questão dos nadadores-salvadores brasileiros já não é nova, as associações de nadadores-salvadores fazem a sua contratação dos nadadores e os concessionários depois fazem à associação, temos um plano integrado", explicou, garantindo que todos possuem curso e que alguns são, inclusive, militares

De acordo com o site Aquapolis, que dá informações sobre as praias fluvias em Portugal, este ano as praias fluviais vão funcionar entre 1 de junho e 30 de setembro, sendo que a maioria deve abrir no dia 15 de junho. 

Segundo a Associação Bandeira Azul Europa (ABAE), Portugal tem este ano 431 praias, marinas e embarcações galardoadas com Bandeira Azul, mais 32 do que em 2021, com um aumento de praias fluviais distinguidas com o galardão, sendo que, na próxima época balnear vão hastear a Bandeira Azul mais 21 praias, mais duas marinas e mais nove embarcações de ecoturismo do que no ano passado.

 

Os comentários estão desactivados.