Internacional

Sobreviventes do Holocausto ajudados a fugir da Ucrânia

Ploschenko, de 90 anos, viajou durante três dias desde Dnipro, a sua cidade natal, até a um centro de cuidados em Hanôver, na Alemanha. 


Uma operação leva a cabo por dois grupos judaicos - Conferência de Reivindicações Judaicas e o Comitê de Distribuição Conjunta Americana - está a ajudar sobreviventes do Holocausto a escaparem da Ucrânia, na sequência da guerra. Um total de 78 sobreviventes já conseguiu fugir. 

Galina Ploschenko, de 90 anos, é uma das sobreviventes da Segunda Guerra Mundial que foi resgatada."Disseram-me que a Alemanha era a minha melhor opção. Eu disse-lhes: 'Espero que tenham razão", afirmou, em declarações ao The New York Times. Ploschenko viajou durante três dias desde Dnipro, a sua cidade natal, até a um centro de cuidados em Hanôver, na Alemanha. 

Enquanto estava na Ucrânia, Galina Ploschenko disse ao mesmo jornal norte-americano que foi obrigada a ficar presa na sua cama, em Dnipro, enquanto as tropas russas estavam naquela cidade, no sudeste da Ucrânia. "Naquela primeira vez, eu era uma criança, com a minha mãe como minha protetora. Agora, senti-me tão só. É uma experiência terrível, uma experiência dolorosa."

Ploschenko afirma que não tem "nada além de amor" pela Alemanha, embora ainda se lembre de "tudo” o que passou com a Segunda Grange Guerra. 

 

Os comentários estão desactivados.