Economia

Lucros da Galp disparam para 155 milhões no 1.º trimestre

A Galp terminou o primeiro trimestre deste ano com uma dívida líquida de 2.392 milhões de euros.

Lucros da Galp disparam para 155 milhões no 1.º trimestre

Os lucros da Galp Energia disparam para 155 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, de acordo com os resultados divulgados, esta terça-feira, em comunicado enviado ao regulador de mercado (CMVM). No mesmo período do ano passado, altura do confinamento, a petrolífera obteve um lucro líquido de 26 milhões de euros. 

O EBITDA (resultados antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) subiu 74% em termos homólogos, para 869 milhões de euros, "impulsionado pelo forte desempenho do 'upstream' [produção de petróleo] e da refinação".

"Os resultados da Galp no primeiro trimestre de 2022 refletem a melhoria das condições operacionais, que permitiram à empresa beneficiar das condições macro mais fortes, nomeadamente no 'upstream' e nos segmentos industriais, apesar da alta volatilidade dos preços das 'commodities' pressionar as restantes atividades a jusante", refere.

O EBITDA da área da produção ('upstream') aumentou 83% face ao trimestre homólogo, para 803 milhões de euros, "refletindo o aumento da produção e as novas realizações de petróleo e gás, apoiadas por melhores condições no comércio de petróleo e novos contratos de gás".

Já na área comercial, o EBITDA foi de 56 milhões de euros, 19% abaixo do período homólogo, "apesar do aumento do volume de petróleo vendido e pressionado pelo ambiente de preços na Península Ibérica, nomeadamente nas atividades de gás e eletricidade".

"Além disso, a partir deste trimestre, o segmento comercial inclui a realocação de plataformas de crescimento da divisão de Novos Negócios (soluções de gestão descentralizadas de energia e mobilidade)", acrescenta.

Na área industrial e de gestão energética (onde está incluída a refinação), o EBITDA ficou-se pelos dois milhões de euros, melhorando face ao prejuízo homólogo de seis milhões de euros, traduzindo o impacto negativo de 90 milhões de euros do "desfasamento de preços no fornecimento produtos petrolíferos", que penalizou "o forte desempenho" da refinação.

No conjunto dos vários negócios, as vendas da Galp somaram 5.661 milhões de euros no primeiro trimestre, mais 70% face ao mesmo período de 2021, tendo o custo dos bens vendidos aumentado 79% para 4.326 milhões de euros.

A Galp terminou o primeiro trimestre deste ano com uma dívida líquida de 2.392 milhões de euros, face a 1.552 milhões do mesmo período de 2021.

No período, a produção petrolífera da Galp aumentou 5% em termos homólogos e o volume de vendas de produtos petrolíferos e de gás natural subiram 25% e 13%, respetivamente.

Os comentários estão desactivados.