Internacional

Autorização para espiar políticos em Espanha

Responsável pelos serviços de informações espanhóis mostra documentos com nomes e apelidos, apesar de estes não terem sido revelados.


A chefe dos serviços secretos espanhóis, Paz Esteban, mostrou perante uma comissão do parlamento as autorizações judiciais que permitiram a espionagem de cerca de vinte políticos pró-independência da região da Catalunha.

Fontes consultadas pela agência espanhola Efe indicaram que Paz Esteban levou para essa comissão um grande número de documentos sobre as ações levadas a cabo pelo Centro Nacional de Inteligência (CNI), incluindo autorizações judiciais para estas ações que, no entanto, ficaram muito aquém das 65 pessoas espiadas que os partidos independentistas catalães denunciaram.

A diretora do CNI mostrou aos deputados, que fazem parte da Comissão das Despesas Reservadas, as autorizações com nomes e apelidos, apesar de estes não terem sido revelados.

A responsável pelos serviços de informações espanhóis foi chamada ao parlamento para esclarecer a espionagem, através do programa Pegasus, de dezenas de políticos pró-independência e também do primeiro-ministro e da ministra da Defesa.

Os comentários estão desactivados.