Sociedade

Governo admite repor gratuitidade dos testes se situação se agravar

Lacerda Sales defende que aumento de novos casos não é suficiente para que medida seja reposta.


O secretário de Estado da Saúde admitiu, este sábado, que os testes à covid-19, realizados nas farmácias e nos laboratórios, poderão voltar a ser gratuitos, caso haja um aumento dos indicadores epidemiológicos.

Em declarações aos jornalistas em Braga, António Lacerda Sales, à margem da sessão de encerramento do VI Congresso dos Enfermeiros, sublinhou que a situação epidemiológica atual não justifica a gratuitidade dos testes. No entanto, “se se vier a verificar que há um aumento dos indicadores epidemiológicos, com certeza que reverteremos essa medida. Neste momento, com os indicadores que temos, e com a estabilidade da situação do ponto de vista epidemiológico, não será necessária a gratuitidade dos testes", afirmou.

Recorde-se que os testes de despiste da covid-19 deixaram de ser gratuitos a 1 de maio, tendo em conta a "evolução positiva" da pandemia no país.

 O secretário de Estado admitiu "algum aumento" de casos, depois do levantamento da obrigatoriedade do uso de máscara, mas frisou que "a tendência” se mantém “estável". Não há "grande pressão" sobre os serviços de saúde, a mortalidade tem diminuído e os internamentos estão "mais ou menos estabilizados, "com ligeiro acréscimo nos últimos dias", mas "sem grande impacto e repercussão", justificou.

Por outro lado, aproveitou para lembrar que é necessário continuar a vigilância, pois "o vírus ainda não desapareceu".

Os comentários estão desactivados.