Politica

PS anuncia moção de censura e propõe fiscalização à conduta da Câmara de Setúbal

Críticas da concelhia não se esgotam na polémica dos refugiados ucranianos.


O PS vai apresentar uma moção de censura à Câmara de Setúbal, além de apresentar uma proposta de uma Comissão de Fiscalização da Conduta da autarquia sadina no Acolhimento de Refugiados Ucranianos, na Assembleia Municipal marcada para amanhã, anunciou a concelhia socialista, esta segunda-feira.

"Na reunião extraordinária da Assembleia Municipal de Setúbal que terá lugar amanhã (terça-feira), 10 de Maio, a bancada do PS irá apresentar uma moção de censura à ação do Presidente da Câmara e do seu executivo municipal da CDU, consubstanciada em quatro graves factos ocorridos durante os primeiros sete meses de mandato, e onde se inclui naturalmente o acolhimento dos refugiados ucranianos pela autarquia, através de cidadãos russos", lê-se num comunicado do PS de Setúbal.

Recorde-se que o PSD de Setúbal também já tinha anunciado a intenção de apresentar uma moção de censura ao presidente da Câmara de Setúbal, André Martins (CDU), defendendo que o autarca sabia das ligações dos elementos da Associação dos Imigrantes de Leste (Edinstvo) ao governo russo e nunca o assumiu".

No entanto, o PS não justifica a moção de censura apenas com a polémica dos refugiados ucranianos, mas também com outros aspetos da gestão autárquica.

O "isolacionismo" da gestão camarária da CDU, o problema do "estacionamento tarifado em grande parte da cidade" e a ausência de respostas em relação ao acidente de uma "trabalhadora do município, que morreu no exercício de funções e não tinha seguro de trabalho", são outros motivos, indicou fonte do partido, citada pela agência Lusa.

O PS de Setúbal, lê-se no comunicado, "não se limita apenas a censurar politicamente a ação do executivo comunista liderado por André Martins, como vai ainda mais longe, avançando com a proposta de criação, em sede de Assembleia Municipal, de uma Comissão eventual de Fiscalização da Conduta da Câmara e dos Serviços Municipais no Acolhimento de Refugiados Ucranianos".

Os comentários estão desactivados.