Internacional

Ucrânia não recebeu armas suficientes para salvar Mariupol, alerta Zelensky

Segundo o líder ucraniano, não há armamento suficiente para "libertar Mariupol e salvar o pessoal civil e militar". 


A Ucrânia não recebeu a quantidade de armas que necessita para quebrar o cerco em Mariupol e reconquistar a cidade, anunciou, esta terça-feira, o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, aos deputados do Parlamento de Malta.

Nas palavras de Zelensky, os resistentes ucranianos “vão prosseguir a resistência na fábrica de Azovstal".

"Estamos a recorrer a todos os instrumentos diplomáticos possíveis para os salvar, mas a Rússia não tem aceitado nenhuma das opções propostas. Pedimos aos nossos parceiros que forneçam armas com o objetivo de libertar Mariupol e salvar o pessoal civil e militar", vincou, ao acrescentar que não foram fornecidas as quantidades de armas necessárias.

Segundo o líder ucraniano, outras cidades e povoações foram atingidas por 2.250 mísseis nos dois meses e meio de invasão. "Os bombardeamentos não param, nem durante o dia, nem durante a noite", relatou.

Zelensky também afirmou que o bloqueio russo dos portos no mar Negro e mar de Azov estão a impedir a exportação de produtos cerealíferos e outros, o que poderá resultar numa crise no mercado de alimentação à escala global.

"Se não podemos exportar trigo, cevada, sementes de girassol, óleo de girassol, isso significa que a população do norte de África e Ásia vai ficar com falta de comida e os preços vão subir", salientou Zelensky. "Mais tarde, poderá haver um novo caos e uma nova crise migratória, e penso que vão sentir esta crise nas regiões vizinhas de Malta", constatou.

Os comentários estão desactivados.