Internacional

Finlândia anuncia adesão à NATO e pedido deverá ser feito "rapidamente"

Ann Linde, ministra dos Negócios Estrangeiros da Suécia, escreveu esta manhã, através do Twitter, que a decisão finlandesa é "uma importante mensagem". 


Sauli Niinisto, Presidente da Finlândia, e Sanna Marin, primeira-ministra, anunciaram esta quinta-feira que defendem a integração do país na NATO, frisando que o pedido de adesão deve ser feito "sem demoras".

"Agora que o momento da tomada de decisões está próximo, declaramos as nossas opiniões em pé de igualdade, também para informação dos grupos e partidos parlamentares", lê-se num comunicado conjunto, citado pela imprensa internacional. "A Finlândia deverá candidatar-se à NATO sem demoras. Esperamos que os passos nacionais que ainda faltam sejam concluídos com brevidade nos próximos dias.”

Commo membro da NATO, diz ainda o comunicado, a Finlândia - que partilha uma fronteira de quase 1.300 quilómetros com a Rússia - "reforçaria toda a aliança de defesa". Assim sendo, o país deve "candidatar-se à adesão da NATO sem demoras”.

“Esperamos que as medidas ainda necessárias para tomar essa decisão sejam tomadas rapidamente nos próximos dias”, acrescenta. “A adesão à NATO reforçaria a segurança da Finlândia”.

Note-se que Ann Linde, ministra dos Negócios Estrangeiros da Suécia, escreveu esta manhã, através do Twitter, que a decisão finlandesa é "uma importante mensagem". 

"A Finlândia é o parceiro mais próximo da Suécia em matéria de segurança e defesa e precisamos de considerar as suas decisões", lê-se no tweet. "A Suécia vai decidir depois de apresentado o relatório sobre política de segurança com todas as consultas".

 

 

 

 

Os comentários estão desactivados.