Internacional

União Europeia comete "suicídio económico" ao vetar energia russa, diz Putin

"Este auto de fé económico, este suicídio, é uma questão interna dos países europeus. Nós devemos agir de forma pragmática e olhando aos nossos interesses económicos", disse o Presidente da Rússia, durante uma reunião dedicada à indústria petrolífera.


O possível embargo ao gás e petróleo russo pela União Europeia (UE), em sequência da guerra na Ucrânia, é um "suicídio economico", disse esta terça-feira Vladimir Putin.

"Este auto de fé económico, este suicídio, é uma questão interna dos países europeus. Nós devemos agir de forma pragmática e olhando aos nossos interesses económicos", afirmou o Presidente da Rússia, durante uma reunião dedicada à indústria petrolífera. E remata: "Temos a impressão de que colegas ocidentais, políticos e economistas, simplesmente esqueceram as leis económicas básicas elementares ou que preferem ignorá-las conscientemente em seu detrimento."

O líder russo referiu ainda que "com base em razões políticas, para satisfazer as suas próprias ambições e sob as pressões dos Estados Unidos, os países europeus impõem cada vez mais sanções", o que leverá ao aumento da inflação.

Vladimir Putin afirma também que os países europeus, "em vez de reconhecerem os seus erros, procuram outros culpados", avisando que vetar as fontes de energia da Rússia à Europa fará com que haja uma transformação "com os preços mais elevados em todo o mundo, a longo prazo".

Assim, o possível embargo pela UE iria "comprometer seriamente e irreversivelmente a competitividade de grande parte da indústria europeia", considerou. 

 

Os comentários estão desactivados.