Internacional

Turistas vão regressar ao Japão pela primeira vez desde 2020

Antes de permitir um regresso sem limitações do turismo, o Japão vai fazer “testes” para perceber como funcionará esta nova realidade.


O Japão vai reabrir, pela primeira vez desde 2020, as suas “portas” a turistas através de um formato que está a ser designado como “teste de turismo”, uma experiência que irá servir balão de ensaio antes do país asiático permitir um regresso completo do turismo, um dos pilares da economia japonesa.

A medida, que irá entrar em vigor ainda este mês, foi anunciada pelo Agência de Turismo do Japão, que explicou que o teste servirá para permitir que o Governo avalie os protocolos de saúde e segurança e como lidar com infeções de covid-19 entre os participantes deste estudo, de acordo com um comunicado divulgado na terça-feira pela agência, citada pela CNN.

“Este empreendimento irá permitir-nos verificar a conformidade e as respostas de emergência para prevenção de infeções e formular diretrizes para agências de viagens e operadores de acomodação”, pode ler-se no comunicado.

 O “teste de turismo”, que foi adiado no final de 2021 devido ao “apertar” das medidas de controle de fronteira contra a variante Ómicron, será aplicado a turistas com três doses da vacina contra a covid-19 provenientes da Austrália, Singapura, Tailândia e Estados Unidos.

A Agência de Turismo do Japão planeará o trajeto de passeios, que irão funcionar com itinerários fixos, juntamente com agências de viagens e os guias turísticos acompanharão os grupos de turistas em todos os momentos.

O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, disse no início deste mês, em Londres, durante uma reunião com as nações G7, que pretendia alinhar os controlos das fronteiras do Japão com outras democracias em junho, mas não revelou mais nenhum detalhe adicional, incluindo quando o país iria abrir totalmente as suas fronteiras para turistas novamente.

Nas últimas semanas, as medidas de restrição foram aliviadas permitindo a entrada de um máximo de dez mil pessoas por dia no país, embora os destinatários de vistos estejam limitados à classe empresarial, estagiários técnicos e estudantes.

O funcionário do secretariado do Gabinete, Makoto Shimoarisu, para a resposta do Japão à covid-19, disse que o Governo está a procurar um “relaxamento gradual” das medidas de fronteira que equilibrem o controle de infeções e a facilidade de entrada no país.

“Atualmente, estamos a discutir planos concretos para controlo de fronteiras após junho, incluindo medidas de quarentena, como testes e preparação para cuidar de infetados”, acrescentou.

Contudo, líderes dos setores do turismo lançaram diversos apelos para permitir a entrada de estrangeiros, tendo os membros de uma comissão estatal apelado recentemente para a normalização do controlo fronteiriço “o mais rapidamente possível”.

Em 2019, antes da pandemia colocar o mundo em suspenso, o Japão recebeu 31,9 milhões de visitantes estrangeiros, que gastaram 4,81 triliões de ienes (cerca de 35,3 mil milhões de euros).

Os comentários estão desactivados.