Sociedade

Jovens acusados de homicídio e profanação de cadáver no caso da morte de Lucas Miranda

Restos mortais só foram descobertos num poço em Setúbal, cinco meses após a morte do rapaz de 15 anos.

Jovens acusados de homicídio e profanação de cadáver no caso da morte de Lucas Miranda

O Ministério Público (MP) acusou dois jovens, de 17 e 18 anos, de homicídio qualificado e de profanação e ocultação de cadáver no caso de Lucas Miranda, o adolescente, de 15 anos, morto em outubro de 2020, depois de ter fugido de um centro de acolhimento onde estava institucionalizado.

No despacho de acusação do MP, pode ler-se que os dois jovens, que também tinham fugido da insituição, foram responsáveis pela morte da vítima, a quem aplicaram um golpe mata-leão, antes de enforcaram numa árvore o corpo de Lucas Miranda.

O cadáver foi depois escondido, pelos arguidos, num poço, tendo os restos mortais do adolescente sido descobertos, cinco meses após a sua morte, no fundo de um poço seco nos arredores de Setúbal.

Os dois arguidos foram ainda acusados de ameaça agravada, maus tratos de animal de companhia, e ofensa à integridade física simples.

Os comentários estão desactivados.