Internacional

Tribunal nos EUA encontra-se a avaliar se um elefante tem direitos humanos

Happy vive no zoo do Bronx há 45 anos e a organização não governamental de direitos dos animais, Nonhuman Rights Project, acredita que o elefante deve ter direito à “liberdade física”.

 


Segundo o The Guardian, um tribunal de Nova Iorque, EUA, encontra-se a avaliar “se uma elefante fêmea chamada Happy, que vive em cativeiro no jardim zoológico do Bronx há 45 anos, tem direitos humanos”. 

De acordo com o jornal britânico, o caso foi apresentado no tribunal na quarta-feira pela organização não governamental de direitos dos animais, apelidada Nonhuman Rights Project, que considera “que os direitos humanos básicos devem ser estendidos a Happy”. Porquê? A ONG defende que o elefante é “um ser autónomo e cognitivamente complexo”, que “merece os direitos reservados na lei para uma pessoa”. 

Além disso, a Nonhuman Rights Project, acredita que o zoo do Bronx está a violar o direito de Happy à “liberdade física” e, por isso, que esta deve ser libertada.

Contudo, o zoo, não concorda, argumentando que Happy “não está presa de forma ilegal nem é uma pessoa”, trata-se de um elefante que é bem tratado e “respeitado como a magnífica criatura que é”.

Os comentários estão desactivados.