Sociedade

Estudo da Unicef diz que crianças portuguesas não vivem em casas saudáveis

Uma em cada cinco crianças portuguesas é exposta a humidade e bolor em casa e cerca de 35% das famílias pobres  têm dificuldade em manter as casas aquecidas.

Estudo da Unicef diz que crianças portuguesas não vivem em casas saudáveis

As crianças portuguesas não vivem em ambientes saudáveis devido a problemas com a habitação, segundo um relatório da Unicef, divulgado esta terça-feira.

Portugal está em terceiro lugar, de um total de 39 países, no que toca ao desempenho geral em termos de indicadores ambientais, concluem os investigadores do Centro de Pesquisa Innocenti da Unicef, que elaboraram a pesquisa.

No entanto, no que toca às condições ambientais para as crianças em particular, nomeadamente a poluição do ar e da água e a presença de chumbo no sangue, Portugal cai para a 25.ª posição.

De acordo com o estudo, cerca de 8% das crianças portuguesas vivem em habitações com problemas graves.

Cerca de 35% das famílias pobres com crianças têm dificuldade em manter as casas aquecidas, 25% das famílias são afetadas pelo ruído e poluição sonora.

O estudo revela ainda que uma em cada cinco crianças portuguesas é exposta a humidade e bolor em casa, enquanto uma em cada dez famílias pobres com crianças viviam em habitações com pouca iluminação natural.

O relatório demonstra que mesmo muitos países ricos não conseguem oferecer um ambiente saudável aos jovens, mais de 20 milhões de crianças têm níveis elevados de chumbo no sangue.

"Não só a maioria dos países ricos não consegue proporcionar aos seus próprios filhos um ambiente de vida saudável, mas, pior ainda, contribui para a destruição de outras crianças, em outras partes do mundo", lamenta Gunilla Olsson, diretora do Centro Innocenti.

Os comentários estão desactivados.