Sociedade

Fiscais de obras da Câmara Municipal de Lisboa acusados de corrupção ficam em prisão preventiva

Estas medidas foram aplicadas hoje à tarde num interrogatório realizado por um juiz de instrução criminal.


Os dois fiscais de obras da Câmara Municipal de Lisboa detidos, esta terça-feira, pela Polícia Judiciária (PJ) vão aguardar o processo em prisão preventiva.

Segundo indicou uma fonte da investigação à agência Lusa, o terceiro arguido no caso de suspeitas de corrupção – empresário e proprietário de uma obra em Lisboa – ficou apenas sujeito à medida de coação de proibição de contactos com outras pessoas envolvidas no processo.

Estas medidas foram aplicadas hoje à tarde num interrogatório realizado por um juiz de instrução criminal.

A PJ confirmou hoje que seguiu um "encontro previamente agendado" entre os dois fiscais da Divisão de Fiscalização da autarquia de Lisboa e um "cidadão proprietário de uma obra em curso na cidade de Lisboa".

Numa investigação dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, a autoridade judiciária prosseguiu com os mandados para buscas domiciliárias e também nos postos de trabalho dos dois funcionários municipais.

Estas buscas resultaram na apreensão de "prova relevante" e "elevadas quantias" de dinheiro, apontou a PJ.

Os comentários estão desactivados.