Sociedade

OMS afasta risco de contágios em eventos pride

“Os casos que vimos foram mais no contexto fechado, de clubes noturnos”, afirmam autoridades de saúde.


Andy Seale, responsável pelo departamento de VIH, Hepatite e Doenças Sexualmente Transmissíveis da OMS, afastou ontem o risco na realização dos encontros PRIDE organizados habitualmente em junho, mês do orgulho LGBTQIA+, sublinhando que tem havido uma articulação com os promotores e que apesar de os primeiros casos  de monkeypox terem sido associados a eventos desta comunidade, não existe uma via de transmissão específica.

A OMS tem estado a conversar com os promotores de eventos oficiais, revelou. “Perguntam-nos se é seguro ir a estes eventos. Parece-nos importante passar a mensagem de que se as pessoas querem ir celebrar, devem ir e planear fazê-lo. Muitos destes eventos são ao ar livre, são family-friendly e não vemos nenhum motivo para estar preocupados com um aumento da transmissão nesse contexto. Os casos que vimos foram mais no contexto fechado, de clubes noturnos, etc”, indicou. Em Lisboa, o Pride está marcado para 25 de junho.

Os comentários estão desactivados.