Economia

TAP aprova contas de 2021 e transferência de prejuízo de 1430 milhões

Ainda esta terça-feira, os Sindicatos alertaram que plano de reestruturação vai “destruir” a TAP.

TAP aprova contas de 2021 e transferência de prejuízo de 1430 milhões

A TAP aprovou em assembleia-geral os relatórios de gestão e das contas individuais e consolidadas relativas a 2021 e a transferência para resultados transitados de mais de 1430 milhões de euros de prejuízo. A informação foi enviada em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e dá ainda conta que foi aprovado o “reconhecimento da perda de metade do capital social da TAP e das medidas disponíveis ao abrigo do artigo 35.º do Código das Sociedades Comerciais (nomeadamente, dissolução, redução do capital social ou realização de entradas para reforço da cobertura do capital)”, tendo o acionista decidido que “não seja tomada qualquer medida de momento”, já que “as medidas a adotar estão definidas no Plano de Reestruturação do Grupo TAP aprovado pela Comissão Europeia”.

Ainda esta terça-feira, os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP alertaram, no parlamento, que, a manter-se como está, o plano de reestruturação vai “destruir” a companhia, apontando ainda o dedo ao funcionamento do aeroporto de Lisboa. Numa audição, na Comissão de Economia, Obras Públicas, Planeamento e Habitação, as estruturas sindicais criticaram a manutenção de um plano que não contemplou uma recuperação tão acelerada como a que está a ter lugar no transporte aéreo.

Estes alertas surgiram depois de a companhia de aviação ter revelado que tinha encerrado a atividade de manutenção de aviões no Rio de Janeiro, Brasil, despedindo mais de 500 trabalhadores.

Recorde-se que a Comissão Europeia informou em 21 de dezembro que aprovou o plano de reestruturação da TAP e a ajuda estatal de 2.550 milhões de euros, mas impôs condições, incluindo a separação dos ativos não-essenciais, nomeadamente o negócio de manutenção no Brasil, e os de catering (Cateringpor) e de handling (Groundforce).

Alvo de várias reestruturações com despedimentos, a última das quais em 2018, a M&E Brasil recebeu da TAP, globalmente, entre 2010 e 2017, injeções financeiras num total de 538 milhões de euros, a valores nominais, sendo que em 2018 foram feitas transferências de 30 milhões de euros.

 

Os comentários estão desactivados.