Internacional

59 rohingyas foram encontrados abandonados numa ilha tailandesa

De acordo com a assistente do Parque Nacional de Tarutao, Mumeen Malinee, o grupo foi encontrado por uma patrulha no sábado passado numa praia na ilha de Dong, na província de Satun, que faz fronteira com a Malásia.

 


Segundo as autoridades tailandesas foram encontradas 59 rohingyas - minoria muçulmana de Myanmar (antiga Birmânia) não reconhecida pelo país de origem - abandonados numa ilha no sul da Tailândia enquanto tentavam chegar à Malásia.

De acordo com a assistente do Parque Nacional de Tarutao, Mumeen Malinee, o grupo foi encontrado por uma patrulha no sábado passado numa praia na ilha de Dong, na província de Satun, que faz fronteira com a Malásia.

Depois disso, a Marinha tailandesa foi alertada e resgatou o grupo de rohingyas, no qual estavam incluídos cinco menores e 23 mulheres.

As fontes oficiais citadas pelos meios de comunicação regionais revelaram que os resgatados terão estado “vários dias sem água potável ou alimentos”. 

Por sua vez, o subdiretor da Proteção da Criança, Mulher e da Luta Contra o Tráfico de Pessoas da Polícia Tailandesa, general Surachet Hakpan, adiantou à agência noticiosa espanhola EFE que está em curso “uma investigação para identificar as vítimas de tráfico de pessoas dentro do grupo, de forma a dar-lhes apoio, e os imigrantes ilegais, que serão deportados”.

Segundo um dos resgatados, em declarações ao canal televisivo tailandês Thairath que, o grupo tinha partido da costa de Bangladesh - país no qual se refugiaram em 2017 após uma campanha de represálias do exército birmanês, “com o objetivo de chegar à Malásia”. Contudo, o homem não soube precisar há quanto tempo.

Além disso, a polícia tailandesa contou que duas embarcações - com cerca de 120 pessoas - foram detidas à chegada à Malásia, enquanto uma terceira voltou para trás e acabou por abandonar os rohingyas em território tailandês.

Os comentários estão desactivados.