Sociedade

DGS confirma mais 13 casos de infeção pelo vírus Monkeypox

No total, o país contabiliza 166 contágios. 


Portugal registou mais 13 casos de infeção pelo vírus Monkeypox, contabilizando no total 166 contágios no país, anunciou, esta terça-feira, a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), a maioria das infeções foram, até ao momento, notificadas em Lisboa e Vale do Tejo, sendo que também há registo de casos nas regiões Norte e Algarve.

A DGS indica que "todas as infeções confirmadas são em homens entre os 19 e os 61 anos, tendo a maioria menos de 40 anos" e garante que "os casos identificados mantêm-se em acompanhamento clínico, encontrando-se estáveis".

A autoridade de saúde salienta que a "informação recolhida nos inquéritos epidemiológicos está a ser analisada para contribuir para a avaliação do surto a nível nacional e internacional", estando a DGS em constante contacto com as instituições europeias.

Segundo um relatório divulgado ontem pela entidade, a curva epidémica do Monkeypox "mostra diferentes vias de exposição, incluindo a presença em locais específicos", como “saunas utilizadas para encontros sexuais, viagens ao estrangeiro (Espanha, Reino Unido e Brasil) durante o período de incubação e contacto com cidadãos não portugueses".

O Monkeypox, da família do vírus que causa a varíola, é transmitido de pessoa para pessoa, através de contacto próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados. O período de incubação do vírus é, geralmente, de sete a 14 dias, e a doença dura em média duas a quatro semanas.

A DGS recomenda que quem apresente lesões ulcerativas, erupção cutânea, gânglios palpáveis, eventualmente acompanhados de febre, arrepios, dores de cabeça, dores musculares e cansaço, que procure aconselhamento médico.

Os comentários estão desactivados.