Sociedade

Três casos de violência doméstica por hora em Portugal

APAV preocupada com aumento dos homicídios conjugais.

Três casos de violência doméstica por hora em Portugal

Pelo menos 13 mulheres morreram desde o início do ano em contexto de violência doméstica, de acordo com os casos conhecidos, o último o de uma mulher morta a tiro pelo marido esta segunda-feira em Felgueiras. Os casos foram contabilizados pelo Jornal de Notícias, numa altura em que o último balanço oficial é ainda do primeiro trimestre. No relatório trimestral da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género eram contabilizadas, nos primeiros três meses do ano, nove vítimas mortais, oito mulheres e uma criança. No mesmo período do ano passado tinham morrido sete pessoas no contexto de violência doméstica: cinco mulheres e dois homens.

Este balanço aproxima-se, ainda a meio do ano, do total de 16 mulheres assassinadas registado em 2021, ano em que as vítimas baixaram. Apesar de todas as campanhas, a violência doméstica continua a ser um flagelo nacional, com 26 520 participações no ano passado, revelou o último Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), divulgado no final de maio. São mais de 70 casos por dia, três por hora. Tratou-se, em 2021, de uma descida de 4% face ao ano anterior. Números que poderão vir a ser excedidos de novo este ano. Nos primeiros três meses do ano, foram registadas 6732 ocorrências à PSP e GNR, um número semelhante aos três meses anteriores (6730). Ainda assim, é um número superior ao do período homólogo de 2021, em que foram participadas 5550 agressões no primeiro trimestre.

A APAV mostrou-se preocupada com o aumento de participações e vítimas mortais. João Lázaro, presidente da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, teme que se esteja a recuperar a tendência pré-pandemia. “É uma batalha sem fim que tem que ser renovada todos os dias”, defendeu ontem o responsável à TSF. M.F.R.

Os comentários estão desactivados.