Sociedade

Portugal com excesso de mortalidade

O novo pico de mortalidade verifica-se desde maio. 


Mais mortes

Depois do mês de maio com mais mortes em Portugal pelo menos nos últimos 40 anos, a mortalidade por todas as causas no país mantém-se acima do que é esperado para esta altura do ano. Segundo a Plataforma Nacional de Vigilância de Mortalidade, que o i consultou, só nos últimos sete dias houve mais 371 mortes do que seria expectável face aos registos históricos para junho.

O novo pico de mortalidade verifica-se desde maio. O aumento das mortes por covid-19, acima do ano passado por esta altura, será uma das explicações, mas até ao momento não houve uma análise das autoridades à evolução da mortalidade, que o i já questionou. 

As ondas de calor como a que o país está a viver são habitualmente a maior mortalidade e morbilidade, mas a tendência é anterior ao atual fenómeno. 

Covid-19

Com mais de 300 mortes diárias no país desde o início do mês, registam-se em Portugal até ao dia 13 de junho 4346 óbitos, mais 814 mortes do que no mesmo período do ano passado. A covid-19 já terá feito perto de 400 vítimas mortais neste mês de junho. No ano passado, em todo o mês de junho, registaram-se 76 mortes.

Em maio, o balanço de vítimas mortais da covid-19 foi 18 vezes superior ao de 2021. As mortes atribuídas à covid-19 não explicam no entanto a totalidade do aumento de mortes, que se verifica sobretudo nos mais idosos. 

Os comentários estão desactivados.