Economia

TIC. Apesar da escassez de semicondutores, setor mantém força financeira

Conclusão é do último relatório da Crédito y Caución.

TIC. Apesar da escassez de semicondutores, setor mantém força financeira

Um dos efeitos inesperados da reabertura do comércio global após a pandemia foi a escassez de semicondutores na cadeia de valor e o último relatório divulgado pela Crédito y Caución mostra até que ponto o setor de TIC conseguiu manter a sua força financeira apesar destas dificuldades: “no último exercício, os seus três principais subsetores registaram crescimentos de dois dígitos (computadores, 14%; componentes eletrónicos, 20%; e telecomunicações, 10%)”.

A Crédito y Caución diz ainda que as margens do setor aumentaram “em muitos mercados-chave e a maioria das suas empresas tem conseguido repercutir o aumento dos preços dos semicondutores nos seus clientes finais”. E apesar da oferta de semicondutores continuar escassa, “os produtores de chips estão a realizar importantes investimentos que permitirão ver aumentos claros na produção a partir de 2024”.

Assim, a médio e a longo prazo, o relatório da Crédito y Caución prevê “sólidas taxas de crescimento” do setor de TIC. Lembrando que a “expansão da produção de semicondutores é um objetivo estratégico tanto para os Estados Unidos como para a União Europeia”, a seguradora de crédito espera que o setor de TIC “se encontre entre os de alto crescimento, impulsionado pela aceleração da digitalização, pela automatização industrial e pelo aumento da procura de semicondutores por parte de novos segmentos como os veículos elétricos”.

Mas há riscos de baixa. “A curto prazo, a persistência da inflação e o endurecimento da política monetária nos Estados Unidos e na Europa poderiam corroer o consumo e pesar sobre os investimentos em TIC de outros setores produtivos”, diz a seguradora.

Junta-se a evolução incerta da guerra na Ucrânia. Isto porque a Ucrânia “é o maior produtor mundial de néon, um subproduto do fabrico de aço que se reutiliza para tratar o silício durante o fabrico de chips”. O que significa que “uma guerra prolongada poderia ter repercussões na produção e fornecimento de semicondutores”.

E lembra que, a médio e a longo prazo, “as empresas do setor de TIC devem estar atentas à saturação de mercado de determinados produtos em algumas economias avançadas”.

 

Os comentários estão desactivados.