Economia

TAP aumenta salário mínimo para 1.410 euros e reduz corte dos pilotos em 10%

Novas condições foram avançadas numa carta enviada pela comissão executiva aos trabalhadores.


A TAP vai aumentar o salário mínimo dos seus trabalhadores de 1.330 para 1.410 euros, com retroativos a janeiro, segundo uma mensagem enviada aos trabalhadores. Além disso vai também reduzir em 10% o corte aplicado aos vencimentos dos pilotos.

"Como resultado deste diálogo aberto e contínuo, foi decidido atualizar o salário mínimo garantido de 1330 euros para 1410 euros, retroativamente a janeiro de 2022. Isto assegurará o princípio de manter a proteção de um nível de remuneração sem cortes equivalente a dois salários mínimos nacionais", adiantou a comissão executiva da TAP na mensagem enviada aos trabalhadores, citada pela agência Lusa.

A comissão executiva da companhia, presidida por Christine Ourmières-Widener, fez ainda saber que vai "reduzir unilateralmente o corte que sofreram em 10%".

A frota de aeronaves para os próximos anos, também é abordada na mensagem, adiantando a empresa que "a decisão final da equipa executiva" aponta para uma "frota da Embraer de 19 aviões para 2022" e, para 2023, a "expectativa é fazer crescer a frota da Airbus", cita a agência Lusa.

"Estamos a trabalhar em cenários e a prepará-los para aprovação pelos nossos acionistas", sublinho a transportadora aérea.

Os comentários estão desactivados.