Vida

Ex-patrão da Fórmula 1 diz que "levaria um tiro" por Putin

Ecclestone afirmou ainda que o Presidente russo é uma pessoa sensível e que teria ouvido se Zelensky quisesse falar com ele. 


O  multimilionário Bernie Ecclestone disse que "levaria um tiro" por Vladimir Putin, considerando que o líder russo é uma "pessoa de primeira classe". 

No programa da ITV Good Morning Britain, o ex-CEO da Formula One Group, de 91 anos, disse que Vladimir Putin estava a fazer aquilo "que acredita ser o correto para a Rússia" no que toca à invasão da Ucrânia, criticando ainda Volodymyr Zelensky. 

"A outra pessoa na Ucrânia [Zelensky] costumava ser um comediante e parece que quer continuar nessa profissão. Se tivesse pensado nas coisas, ter-se-ia esforçado por falar com o Putin, que é uma pessoa sensível e que o teria ouvido e feito alguma coisa", disse.

Ecclestone, que foi preso o mês passado no Brasil por ter na sua posse uma arma quando embarcava num avião privado, aproveitou para atacar também os Estados Unidos, dizendo que estes "gostam de guerras porque vendem muitas armas". 

A entrevista foi para o ar apenas um dia depois de o ex-campeão de fórmula 1 Nelson Piquet ter pedido desculpas a Lewis Hamilton por se ter referido a ele com insultos racistas. 

 

 

 

 

Os comentários estão desactivados.