Sociedade

Jovem de 18 anos internado em estabelecimento psiquiátrico por alegado abuso sexual de menores

Advogada do jovem afirma que se trata de "um jovem que já deveria, há muito tempo, ter sido sinalizado e encontrar-se acompanhado em estabelecimento da área da deficiência mental".


Um jovem de 18 anos foi esta sexta-feira condenado pelo Tribunal de Viana do Castelo a internamento compulsivo numa unidade psiquiátrica devido à alegada prática dos crimes de abuso sexual de crianças. 

De acordo com a advogada do arguido, Isabel Guimarães, citada pela agência Lusa, trata-se de "um jovem que já deveria, há muito tempo, ter sido sinalizado e encontrar-se acompanhado em estabelecimento da área da deficiência mental".

"O arguido tem um défice cognitivo, um atraso no desenvolvimento e uma idade mental que corresponde à idade de uma criança", disse a profissional que considera que falhou "a intervenção social a montante".

"Este caso deverá servir para o coletivo refletir sobre as respostas sociais, muitas vezes inexistentes, para pessoas que, infelizmente, não têm capacidade financeira, nem conhecimento suficiente, para sozinhos encontrarem uma resposta na área da saúde mental", disse ainda Isabel Guimarães. 

O jovem foi esta sexta-feira detido pela Polícia Judiciária (PJ), em Viana do Castelo, uma vez que o jovem estava "fortemente indiciado pela eventual prática de vários crimes de abuso sexual de crianças".

Em comunicado, a autoridade informa que deu cumprimento ao mandado de detenção fora de flagrante delito, emitido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Viana do Castelo.

"Os abusos sexuais ocorreram em datas ainda não concretamente apuradas, mas, já no decurso do presente ano e até ao passado dia 22 de junho, foram praticados sobre uma criança, menor de 5 anos de idade, familiar do arguido, tendo este aproveitado a livre disponibilidade de contactos que possuía com a vítima para satisfazer os seus impulsos sexuais lascivos", lê-se na nota.

Os comentários estão desactivados.