Sociedade

Embaixadora da Ucrânia defende condenação de Putin como "criminoso de guerra"

A embaixadora disse que desde o início da invasão russa, a 24 de fevereiro, a Rússia “violou cerca de 400 acordos internacionais”, segundo diversas agências internacionais.


Inna Ohnivets, embaixadora da Ucrânia em Portugal, defendeu esta quarta-feira a condenação de Vladimir Putin por crimes de guerra.

Intervindo na conferência "Ucrânia e Outros Conflitos Bélicos: Refugiados, Direito Internacional e Crimes de Guerra", evento promovido pela Associação de Advogados Sem Fronteiras de Língua Portuguesa (ADVSF), a embaixadora disse que desde o início da invasão russa, a 24 de fevereiro, a Rússia “violou cerca de 400 acordos internacionais”, segundo diversas agências internacionais.“Por todas estas violações do direito internacional, o Presidente russo, Vladimir Putin, deve ser condenado como criminoso de guerra."

A embaixadora destacou apoio de países e organizações como os Estados Unidos da América (EUA), a União Europeia (UE) e o Reino Unido, que criaram “um grupo de ajuda ao procurador especial do TPI para investigar esses crimes de guerra".

Ohnivets recordou que o Tribunal Penal Internacional (TPI) abriu um processo de investigação a crimes de guerra cometidos pelas tropas russas, a pedido de 42 países, incluindo Portugal.

Há duas semanas, o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, anunciou que Inna Ohnivets seria destituída do cargo de embaixadora da Ucrânia em Portugal, na sequência de uma rotação normal e agendada de diplomatas.

Os comentários estão desactivados.