Internacional

Suspeito de tiroteio em Chicago pode enfrentar prisão perpétua

O homem acusado de matar sete pessoas no dia da Independência enfrenta sete crimes de homicídio qualificado.

Suspeito de tiroteio em Chicago pode enfrentar prisão perpétua

Robert E Crimo III, suspeito do tiroteio em Highland Park, que ocorreu no dia 4 de julho, feriado do dia da Independência nos Estados Unidos, foi acusado de sete crimes de homicídio qualificado, revelaram as autoridades.

Caso seja condenado, escreve o Guardian, Crimo provavelmente enfrentará uma pena máxima sem qualquer possibilidade de pedir liberdade condicional. “Estas são apenas as primeiras de muitas acusações que serão feitas contra o Sr. Crimo”, garantiu o procurador do condado de Lake, Eric Rinehart, citado pela Reuters.

Segundo novos detalhes deste caso, o suspeito que matou sete pessoas e feriu mais de 30 outras terá obtido legalmente cinco armas – incluindo a arma do crime – após uma tentativa de suicídio e uma ameaça de “matar todos” em 2019, revelaram autoridades.

O suspeito do crime é um homem de 22 anos, Robert E Crimo III, que, segundo os meios de comunicação norte-americanos, é um rapper de Chicago conhecido por publicar as suas músicas nas redes sociais com videoclipes “controversos”.

“Vários videoclipes com o seu nome aparecem em diferentes plataformas e redes sociais, mostrando um jovem com características físicas semelhantes às fotografias mostradas pela polícia”, escreve a BBC. “Em vários dos vídeos, Crimo parece fazer apologia a armas e tiroteios em escolas. Num dos vídeos, intitulado On my Mind, ele é visto com um colete e um capacete de operações militares numa sala de aula. Em determinado momento da gravação, ele enfia a mão numa mochila e, após um corte para uma tela preta, a sala de aula é vista em caos. O jovem então sorri com malícia”, pode ler-se no meio de comunicação.

O tiroteio em Chicago é mais um dos muitos incidentes de violência armada registada nos Estados Unidos, que tem vivido um aumento deste tipo de casos nos últimos dois anos.

Este foi o 315.º tiroteio em massa registado este ano nos Estados Unidos, segundo dados do site Gun Violence Archive, desde então já aconteceram mais cinco.

Este ano, foram reportadas 22 582 mortes relacionadas com violência com recurso a armas e, pelo menos, 10 240 pessoas foram vítimas de tiroteios.

Mais de 44 mil pessoas morreram em 2021, a maioria por suicídio, de acordo com o Arquivo de Violência Armada norte-americano.

Os comentários estão desactivados.