Economia

Sabe quantos litros pode comprar por um salário médio?

Em junho, o preço médio de um litro de gasolina em Portugal era de 2,11 euros. Este preço é 23,6% mais elevado do que em janeiro altura em que, em média, um litro de gasolina custava 1,71 euros, revelam os analistas da Picodi.


Uma coisa é certa e não traz dúvidas: abastecer está cada vez mais caro – em Portugal e no mundo – e as carteiras dos consumidores têm-no sentido. A invasão russa na Ucrânia tem sido a principal causadora destes disparos nos preços que já vinham até antes da pandemia mas não de forma tão acentuada. 

Mas sabe quantos litros de gasolina se pode pagar por um salário médio em Portugal? A resposta é 484 litros, tendo em conta que o salário médio líquido em Portugal é de – segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística – 1024 euros.

Segundo a análise da Picodi – cujos analistas examinaram a dinâmica da mudança dos preços da gasolina na Europa e em todo o mundo – nos primeiros seis meses deste ano, muitos foram os países que registaram aumentos recordes nos preços da gasolina. E se os valores em Portugal já atingiram números recorde, há países em pior situação, como é o caso da Turquia onde o preço da gasolina aumentou em 100%.

A Picodi avança também que, no mês de junho, o preço médio de um litro de gasolina em Portugal era de 2,11 euros por litro. E o crescimento é claro: “Este preço é 23,6% mais elevado do que em janeiro, quando, em média, um litro de gasolina custava 1,71 euros”.

E acrescenta que foram registados aumentos de preços por proprietários de automóveis em Espanha (+40,8%), França (+23,2%) e Itália (+16,1%).

A análise fala ainda de outros países. A título de exemplo, em Malta, os preços de gasolina praticamente não sofreram oscilações e mantiveram-se estáveis durante todo o primeiro semestre deste ano. Já na Rússia, o preço nominal em rublos não se alterou. “No entanto, devido ao aumento artificial do valor do rublo pelo Governo, os preços da gasolina apresentados em euros aumentaram 41,5%”, explicam os analistas da Picodi. 

Já o Cazaquistão é o único país da Europa (parcialmente), onde a gasolina se tornou mais barata: -0,7%.

Atualmente – com dados até junho – quem mais paga pelo seu combustível são os noruegueses (2,56 euros por litro), finlandeses (2,53 euros por litro) e dinamarqueses (2,48 euros por litro). 

E, para os analistas, não há dúvida: “Em Portugal, o preço da gasolina é um dos mais caros da Europa”, ocupando o 11.º lugar entre os 43 países, com 2,11 euros por litro. Já os habitantes da Rússia (0,84 euros por litro) e da Bielorrússia (0,68 euros por litro) “podem aproveitar os preços baixos da gasolina”.

Para esta análise, os analistas da Picodi decidiram verificar também a relação entre os preços da gasolina e o salário médio local. 

Feitas as contas, com o salário médio, os motoristas da Suíça (2455 litros), Luxemburgo (1943 litros) e Dinamarca (1502 litros) podem comprar a maior quantidade da gasolina.

E em Portugal? Ora, de acordo com os dados mais recentes apresentados pelos INE, o salário médio em Portugal é 1024 euros líquidos. “Isto significa que um português médio por um salário médio pode comprar 484 litros de gasolina”. Conclui-se assim que “em comparação com o índice da gasolina do ano anterior, o poder de compra do salário médio português no contexto da gasolina diminuiu significativamente”.

Os analistas mostram que o índice de gasolina em Portugal nos últimos anos contava com os seguintes valores: 2019 (645 litros), 2020 (669 litros), 2021 (624 litros) e 2022 (484 litros).

Preços não aumentaram no mundo inteiro Não há dúvidas que “ter recursos substanciais de matérias-primas salvou alguns países do aumento do preço da gasolina”, dizem os analistas da Picodi. Assim, países como a Arábia Saudita, o Kuwait e o Qatar “não foram afetados pela situação económica mundial”. E lembram ainda que os Governos de países como a Colômbia, Equador e Cazaquistão “decidiram congelar ou estabelecer o limite máximo dos preços da gasolina”.

Assim, fora da Europa, em junho deste ano, o preço mais baixo da gasolina foi registado na Argélia (0,30 euros por litro), Kuwait (0,32 euros por litro) e Irão (0,34 euros por litro). Por outro lado, Hong Kong é  o país com o preço mais elevado da gasolina por litro: (2,83 euros por litro).

No ranking mundial do poder de compra, o pódio ainda pertence aos países do Golfo: Qatar (5968 litros), Kuwait (5578 litros) e Arábia Saudita (4372 litros).

Já o país mais pobre nesta comparação é Cuba, local onde o salário médio “é igual a apenas 27 litros de gasolina”.

Últimos dados Ainda que com oscilações, os preços dos combustíveis têm apresentado valores recorde no nosso país.

Ainda assim, esta semana teve início com descidas tanto no gasóleo como na gasolina. As quebras rondaram aproximadamente os sete cêntimos por litro nos dois casos e que, no caso da gasolina, representa a maior quebra desde 2 de maio.

Esta redução nos preços surge, numa altura, em que o Governo decidiu prolongar por dois meses o desconto no ISP, equivalente a uma taxa do IVA de 13%.

Recorde-se, no entanto, que a evolução dos custos depende de cada posto de abastecimento, da marca e da zona onde se encontra.

Veja aqui o mapa para verificar a dinâmica dos preços dos combustível pelo mundo

Os comentários estão desactivados.