Sociedade

Ministro da Administração Interna diz que sistema de vigilância "eficaz" permitiu detenção de dois incendiários

José Luís Carneiro garantiu que Portugal tem um sistema de vigilância "eficaz e permanente" para estabelecer a segurança dos cidadãos. Através da ação fiscalizadora das estruturas de segurança, foi possível detetar hoje em flagrante delito dois incendiários na Trofa e Setúbal. 


O ministro da Administração Interna garantiu que o país tem, em atual funcionamento, um “sistema de vigilância muito eficaz” que garante a segurança dos cidadãos, assim como é uma ferramenta útil que permitiu, esta quinta-feira, deter dois incendiários em flagrante delito, na Trofa e Setúbal.

José Luís Carneiro, em declarações aos jornalistas, explicou que 70% das causas dos incêndios, que temos vindo a assistir nos últimos dias, "têm que ver com intervenção humana", pelo que o esforço para sensibilizar os cidadãos tem sido intensificado pelo poder político. Ainda assim, há "13% das causas dos incêndios que têm que ver com dolo".

"No fundo, há um conjunto de incendiários que colocam em causa a nossa segurança coletiva", notou o governante, destacando as estruturas que estão a trabalhar “eficazmente” para prevenir possíveis ignições.

Para exemplificar, José Luís Carneiro mencionou o caso que aconteceu hoje com um avião da Força Aérea que está a sobrevoar o país, em colaboração com a Guarda Nacional Republicana, para fiscalizar permanentemente os solos do país e que conseguiu detetar em flagrante delito dois incendiários na Trofa e em Setúbal.

O ministro ainda fez questão de esclarecer o país de que existe “um sistema de fiscalização e vigilância, que utiliza meios tecnológicos e também meios humanos, que permitem a cobertura de todo o território”.

“E é também importante que todos tenham a consciência de que estes meio estão ativos, a operar, de dia e mesmo durante a noite, em todo o país, para garantir que comportamentos que atentem contra a legalidade e contra a segurança coletiva serão sancionados e estão a ser objeto de observação das autoridades", asseverou.

Os comentários estão desactivados.