Internacional

Primeira-dama da Ucrânia visita EUA e pede mais armamento e defesa aérea para "defender a sua casa"

A intervenção de Zelenska surge no mesmo dia em que o ministro dos Negócios Estrangeiros russo admitiu que os objetivos militares de Moscovo na Ucrânia não passam apenas pela região leste do país, mas também por “uma série de outros territórios”.


Na visita aos Estados Unidos, a primeira-dama da Ucrânia pediu perante o Congresso dos EUA mais armamento para enfrentar a ofensiva russa que continua a destruir a vida de milhões de ucranianos.  

"Estou a fazer um pedido que preferia não fazer. Estou a pedir armas, não para declarar guerra a outro território, mas para proteger a nossa casa e o direito de viver nela", afirmou Olena Zelenska para os deputados no Capitólio, em Washington.

A intervenção de Zelenska surge no mesmo dia em que o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, admitiu que os objetivos militares de Moscovo na Ucrânia não passam apenas pela região leste do país, mas também por “uma série de outros territórios”.

"A geografia é diferente agora. Já não se trata apenas das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk [os territórios separatistas no leste da Ucrânia], mas também das regiões de Kherson e Zaporijia [no sul] e uma série de outros territórios", adiantou o chefe da diplomacia russa numa entrevista à agência de notícias Ria Novosti e ao canal RT.

Já no ocidente, a primeira-dama da Ucrânia também pediu o envio de sistemas de defesa aérea, a fim de evitar a morte de crianças e a destruição de famílias inteiras ucranianas.

"Será que o meu filho poderá voltar à escola no outono? Tal como milhões de mães na Ucrânia, não sei. A minha filha poderá ir para a universidade no início do ano académico e ter uma vida normal? Não posso responder a isso. Teríamos respostas se tivéssemos sistemas de defesa aérea", sublinhou Olena Zelenska, ao mostrar no Congresso imagens da destruição e dalgumas das vítimas da guerra na Ucrânia.

Não obstante, Zelenska aproveitou a sua visita para agradecer diante os norte-americanos a ajuda fornecida pelo país em vários âmbitos, nomeadamente na defesa dos valores comuns e da independência da Ucrânia.

A visita aos EUA começou na segunda-feira. Olena Zelenska encontrou-se com o secretário do Estado norte-americano, Antony Blinken, na sede do Senado e da Câmara dos Representantes (as duas câmaras do Congresso).

Na terça-feira, Zelenska esteve com a primeira-dama norte-americana, Jill Biden, e foi distinguida, como representante do povo ucraniano, com o Prémio Dissidente dos Direitos Humanos.

Note-se que, desde o início da invasão russa, Washington já enviou cerca de sete mil milhões de dólares – cerca de 6,8 mil milhões de euros, ao câmbio atual – em ajuda militar para a Ucrânia.

Os comentários estão desactivados.