Sociedade

Incêndio em Alvaiázere deixou rasto de destruição

"Dezenas de famílias ficaram quase sem nada e que a sua fonte de rendimento foi afetada", afirmou autarca.


O fogo que aterrorizou Alvaiázere, no distrito de Leiria, durante vários dias, deixou um rasto de destruição considerável, com casas afetadas pelas chamas e mais de 4.000 hectares ardidos. 

"Temos uma área ardida de cerca de 4.200 hectares. Seis casas foram afetadas pelo fogo, que não vou distinguir de primeira ou segunda habitação, nem se foram destruídas total ou parcialmente, assim como muitas dezenas de alfaias agrícolas. Há registo de um bombeiro ferido, que foi operado e está a recuperar", disse João Guerreiro (PSD), presidente da Câmara de Alvaiázere, em declarações à agêmcia Lusa, acrescentando que "muitas pessoas ficaram sem o seu 'stock' de alimentos" .

Alvaiázere tem estado em contacto com a Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria e com a associação Terras de Sicó para que "o evento seja classificado como uma situação de exceção e emergência" e para que seja "disponibilizada uma linha de apoio que ajude a normalizar a vida das pessoas", adiantou o autarca. 

João Guerreiro afirmou que "dezenas de famílias ficaram quase sem nada e que a sua fonte de rendimento foi afetada". E deixou claro: "Depois do combate aos incêndios, o apoio às pessoas é o nosso combate. As autarquias não têm dotação para apoiar, mas estas famílias precisam de o ser".

 

Os comentários estão desactivados.