Internacional

Sucesso dos acordos para desbloqueio dos cereais depende "da implementação rápida e de boa-fé", diz UE

Borrell vê o acordo como “uma oportunidade para começar a inverter este rumo negativo”, após invasão russa da Ucrânia.


O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, saudou, esta sexta-feira, os acordos assinados pela Ucrânia e Rússia para desbloquear a exportação de cerca de 25 milhões de toneladas de cereais retidos nos portos do Mar Negro.

“A União Europeia congratula-se com os acordos hoje assinados em Istambul pela Ucrânia, Rússia, Turquia e Nações Unidas para desbloquear o Mar Negro para as exportações ucranianas de cereais", indicou Josep Borrell, numa nota divulgada momentos depois da cerimónia de assinatura na cidade turca.

"Este é um passo crucial nos esforços para superar a insegurança alimentar global causada pela agressão da Rússia contra a Ucrânia", considera o alto representante da UE para a Política Externa.

Por outro lado, alertou para a importância “da implementação rápida e de boa-fé", e defendeu que esta é "uma oportunidade para começar a inverter este rumo negativo", após a invasão russa da Ucrânia.

O responsável elogiou ainda os "esforços incansáveis" da ONU para "encontrar formas de desbloquear as exportações agrícolas ucranianas" e também da Turquia na "intermediação deste acordo e no apoio à sua implementação".

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, também já reagiu, lembrando, numa publicação no Twitter, que os acordos "podem beneficiar milhões de pessoas em todo o mundo".

"A estrita implementação do acordo é agora da maior importância para que este funcione", adiantou Charles Michel.

Recorde-se que a Ucrânia e a Rússia assinaram hoje acordos separados com a Turquia e as Nações Unidas para desbloquear a exportação de cerca de 25 milhões de toneladas de cereais retidos nos portos do Mar Negro.

Os comentários estão desactivados.