Internacional

Lula da Silva em lista 'negra' de Kiev que diz promover propaganda russa

O Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia criou uma lista de personalidades que as autoridades ucranianas acusam de promoverem propaganda russa.

Lula da Silva em lista 'negra' de Kiev que diz promover propaganda russa

Lula da Silva, ex-presidente do Brasil e candidato às eleições presidenciais em outubro, foi colocado pelo Centro de Combate à Desinformação, que integra o Conselho de Segurança Nacional e Defesa da Ucrânia, numa lista de personalidades que as autoridades ucranianas acusam de promoverem propaganda russa. A lista é composta por 78 pessoas. 

"Fico vendo o Presidente da Ucrânia na televisão como se estivesse festejando, sendo aplaudido em pé por todos os parlamentos, sabe? Essa cara é tão responsável quanto o Putin. Ele é tão responsável quanto o Putin. Porque numa guerra não tem apenas um culpado", disse o ex-presidente Lula da Silva, numa entrevista no início de maio à revista norte-americana Time, sendo esta uma das razões para que Lula tenha sido incluido na lista ucraniana. 

Na mesma entrevista, o candidado às eleições presidenciais brasileiras considerou que Vladimir Putin  "não deveria ter invadido a Ucrânia", mas que "não é só o Putin que é culpado, são culpados os Estados Unidos e é culpada a União Europeia". Por fim, rematou: "Qual é a razão da invasão da Ucrânia? É a NATO."

Para além destas declarações, que não foram bem vistas aos olhos de Kiev, a segunda justificação para o ex-presidente brasileiro ser incluído nesta lista é, segundo a Ucrânia, que Lula teria declarado que a Rússia "deve liderar a nova ordem mundial". Afirmações que, segundo a assessoria de Lula, citada pela CNN Brasil, nunca foram proferidas pelo mesmo. 

 

Os comentários estão desactivados.