Internacional

Investigação expõe rede de grupos neonazis que preparava ataque armado

Os grupos têm como referência nomes inspirados na propaganda do partido Nazi, do ditador Adolf Hitler. Um dos grupos, por exemplo, apresenta-se como "Feuerkrieg" (Guerra de Fogo).

Investigação expõe rede de grupos neonazis que preparava ataque armado

Dezenas de grupos neo-nazis que se encontram espalhados pela costa oeste dos Estados Unidos da América (EUA), pela Europa ocidental e ainda por algumas regiões dos Estados bálticos estavam a preparar uma série de ataques armados. A notícia surge após uma investigação levada a cabo pelo Politico, juntamente com o jornal alemão Welt am Sonntag e o jornal Insider, e que foi publicada esta quarta-feira. 

O trabalho sobre as organizações de grupos de extrema direita, que durou cerca de um ano, passou pela investigação de fóruns online e da análise de mais de 98 mil mensagens trocadas entre os jovens pertencentes àquelas organizações, assim como vídeos e fotografias. Entre eles, os investigadores e jornalistas descobriam "listas de morte" e ainda tutoriais de como fazer bombas caseiras e criar peças de armas usando impressoras 3D, juntando às ameaças de morte feitas a vários responsáveis políticos e jornalistas. Alguns dos membros dos grupos têm 16 anos

Os grupos têm como referência nomes inspirados na propaganda do partido Nazi, do ditador Adlof Hitler. Um dos grupos, por exemplo, apresenta-se como "Feuerkrieg" (Guerra de Fogo).

Um dos jovens, identificado na investigação como LukasF, de 17 anos, terá nascido na Bielorrúsia e encontra-se a viver na cidade alemã Potsdam. Uma das fotografias conseguidas mostra o jovem nazi num veículo de guerra, com um dos seus irmãos e com o pai, um cazaque de ascendência alemã.

A investigação salienta a dificuldade das autoridades em combater estes grupos neo-nazis, uma vez que quando um deles é exposto e encerrado, surgem outros. Um dos motivos para a fácil reorganização dos membros destes grupos está relacionada com a ausência de uma sede fixa. Os grupos movimentam-se muito mais pela internet.

 

Os comentários estão desactivados.