Sociedade

Dezenas de documentos de identificação e cartões bancários apreendidos em discotecas de Lisboa

PSP avisa que cartões podem vir a ser usados para atividades ilícitas ou vendidos na 'dark web'


Mais de 60 cartões do cidadão, 12 cartões bancários, passaportes e cartas de condução foram apreendidos, na quinta-feira passada, em dois espaços de diversão noturna na zona de Alcântara, em Lisboa.

Operação da PSP foi levada a cabo no âmbito de uma investigação sobre burlas qualificada e informática e falsificação de documentos, informaram as autoridades, num comunicado divulgado esta terça-feira.

Em causa está a investigação de “um catálogo de crimes dos quais se destacam os crimes de burla qualificada, burla informática e falsificação de documentos”, e que conduziu a buscas naqueles dois espaços.

Na sequência das buscas, foram identificados 18 cidadãos e apreendidos 63 cartões de cidadão, de nacionalidade portuguesa, e 12 cartões bancários, além de um cartão de cidadão de nacionalidade francesa, um passaporte brasileiro, duas cartas de condução portuguesas e uma autorização de residência.

“Os responsáveis pelos espaços de diversão noturna não podem reter ou conservar o cartão de cidadão, como garantia de pagamento ou por outro motivo qualquer”, sublinhou a PSP.

Na mesma nota, a PSP deixou ainda o alerta a todos os os cidadãos que frequentam áreas de diversão noturna, recomendando-lhes se mantenham “atentos aos bens pessoais, especialmente documentos identificativos e cartões bancários, pois podem vir a ser usados para atividades ilícitas ou vendidos na ‘dark web’”.

No caso de extravio, perda ou furto destes documentos, a PSP lembra que os titulares devem participar às autoridades, e que os responsáveis dos estabelecimentos noturnos estão obrigados a devolver os cartões perdidos nos estabelecimentos ao Instituto de Registo e Notariado ou às autoridades policiais, “sob pena de responsabilidade contraordenacional e criminal”.

Os comentários estão desactivados.