Sociedade

Arderam mais de 58.000 hectares no primeiro semestre deste ano

É o mês de julho que apresenta o maior número de incêndios rurais, 40% do total, além de ser o mês com mais área ardida (46.996 hectares), o que representa 81% de toda a área ardida registada este ano.


O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) anunciou esta segunda-feira que um total de 7.517 incêndios rurais foram registados nos primeiros seis meses deste ano em Portugal continental, provocando 58.354 hectares de área ardida: 28.897 hectares foram de povoamentos, 23.338 de matos e 6.119 de agricultura.

O ICNF, comparando os valores de 2022 com o histórico dos últimos 10 anos, conclui que se registaram menos 6% de incêndios rurais, mas mais de 59% de área ardida, no que diz respeito à média anual. 

Assim, 2022, com dados registados até 31 de julho, apresenta o quinto valor mais elevado em número de incêndios e o terceiro valor mais elevado de área ardida desde 2012. E é o mês de julho que apresenta o maior número de incêndios rurais, 40% do total, além de ser o mês com mais área ardida (46.996 hectares), o que representa 81% de toda a área ardida registada este ano.

Os cinco maiores incêndios deste ano ocorreram todos no mês de julho. O que consumiu mais área foi o que deflagrou em Murça, Vila Real, a 17 de julho (7.058 hectares). Em segundo lugar está o de Pombal, Leiria, com 5.126 hectares de área ardida.

Os comentários estão desactivados.