Politica

"Deixei o álcool levar a melhor de mim", diz Hope Solo depois de ser presa por conduzir alcoolizada com filhos no carro

A aposentada guarda-redes da seleção norte-americana foi presa depois de sido encontrada desmaiada ao volante de um veículo num parque de estacionamento da cadeia de supermercados Walmart, no estado da Carolina do Norte. No banco de trás do carro, estavam os seus filhos, gémeos de dois anos, Lozen e Vittorio.


Hope Solo disse que deixou “o álcool levar a melhor” de si, depois de ter sido presa no final do passado março por conduzir alcoolizada com os gémeos menores no carro.

A estrela do futebol norte-americano assumiu a sua responsabilidade no podcast “Hope Solo Speaks”, num episódio em que considerou a sua atitude no “maior erro” da sua vida.

Este erro, nas palavras de Solo, foi "um grande custo” para ela e para a família.

A aposentada guarda-redes da seleção norte-americana foi presa depois de sido encontrada desmaiada ao volante de um veículo num parque de estacionamento da cadeia de supermercados Walmart, no estado da Carolina do Norte. No banco de trás do carro, estavam os seus filhos, gémeos de dois anos, Lozen e Vittorio.

Em julho, Hope Solo declarou-se culpada e foi punida com uma sentença de 30 dias e uma pena suspensa de 24 meses, bem como o pagamento de 2.500 dólares em multas. O mês de sentença foi passado numa clínica de reabilitação.

Ao cumprir o tratamento, Hope Solo foi obrigada a adiar a cerimónia da sua entrada no National Soccer Hall of Fame.

"Contactei o Hall of Fame e solicitei respeitosamente o adiamento da minha cerimónia de entrada no Hall of Fame para 2023", disse a ex-atleta na altura.

Atualmente, a guarda-redes de 41 anos tem todas as energias focadas na sua saúde e para cuidar da família. Mas para atingir este estado de espírito, Solo foi-se abaixo completamente.

"Entrar no tratamento, esperar pelo sistema legal, lidar com manchetes internacionais e nacionais, cancelar a minha presença no Hall of Fame, foi muito embaraçoso”, assinalou no seu podcast.  

"Houve muitos dias e noites de choro incontrolável até ter o meu primeiro ataque de pânico. A ideia de deixar a minha família para trás para se defender de si própria era quase insuportável", admitiu.

Porém, o tempo que passou em recuperação foi valioso, disse Hope Solo. "Hoje, estou grata pelos meus 30 dias que serviram para ler, pensar, rezar, mediar e aprender. Não há vergonha se lutamos contra o álcool ou o vício. Obrigado aos belos homens e mulheres que me ensinaram isto".

Os comentários estão desactivados.